AddThis Social Bookmark Button

Teste seus conhecimentos

1. Segundo Plotino, podemos afirmar, quanto à alma:

a             Cada homem possui uma única alma, a qual é una e indivisível;

b             O homem possui duas almas, uma originada no Caos e outra no Cosmo;

c              O homem  possui duas almas, uma  causada  pelo   divino  outra  pelo   universo,     as    quais   se   unem definitivamente após a morte do  homem;

d             O homem possui duas almas, uma causada pelo divino  outra pelo universo, as quais se separam após a morte do homem.

 

 

2. O baobá é uma árvore originária das estepes africanas. Seu significado na cultura daquele povo:

a             não tem nenhuma importância e por isso foi praticamente extinta;

b             era de suma importância,  vez  que   representava    os   ancestrais   da comunidade;

c              tinha relativa importância, porquanto indicava a mudança de tempo e chegada de chuvas;

d             Era de absoluta relevância, dado que suas raízes indicavam as gerações futuras e sua manutenção garantia, assim, a longevidade da comunidade;

 

3.  Muitos escravos africanos levavam sementes do baobá escondidas  nos cabelos, durante o transporte para o Brasil. Podemos afirmar que:

a             Faziam isso como superstição, vez que temiam morrer em naufrágios;

b             Essas sementes serviam de amuletos da sorte, e assim estariam protegidos e teriam condições de manter suas tradições na nova terra;

c              Queriam plantar essas sementes na nova terra como forma de demonstrar a riqueza da região de onde vinham;

d             Traziam as sementes para plantar na nova terra e assim manter vivo o vínculo com seus ancestrais.

4. Hannah Arendt ressalta que para Arstóteles a origem do movimento está no desejo, embora o homem deva   agir   segundo   a   razão.  Nessa dicotomia,  a  proairésis,  tem  o papel de:

a             fazer prevalecer a razão como única  fonte  originária de  todo  movimento humano;

b             Conter os desejos e fazer com que o homem não pratique nenhuma ação levado pela sophrosine;

c              Indicar ao homem quais os desejos que devem ser satisfeitos e quais devem ser rejeitados;

d             exercer a mediação entre desejo e razão possibilitando ao homem a deliberação e escolha dos melhores meios para se alcançar o fim desejado.

 

  • leiamais

Leia também outros artigos

Espaço-Poesia 35
AddThis Social Bookmark Button

Espaço-Poesia

Desemprego

 Desemprego
Mãos vazias
Filhos com fome
Incerteza na boca dos homens
Desemprego
Agonia
Lojas vazias
Filas imensas
Mãos em romaria
Desemprego
Nó no futuro
Globalização fora de rumo
Invisível e intransponível muro
Desemprego
No sono
Na fila
No coração do homem trabalhador
Só desassossego
Desemprego
Bicho-papão
Se nada for feito
Viraremos refeição

Peilton Sena

Home      Capa

40. Charles S. Peirce: A lógica da investigação e sua semiótica
AddThis Social Bookmark Button

Charles S. Peirce:
A lógica da investigação e sua semiótica

Luiz Meirelles

Mestre em Filosofia - PUCSP


Charles Sanders Peirce nasceu em Cambridge, no dia 10 de setembro de 1839 e faleceu em Milford, no dia 19 de abril de 1914. Filho de Benjamin Peirce, renomado matemático de Harvard, Peirce se dedicou inicialmente aos estudos da Química, tendo mesmo alcançado o doutoramento também em Harvard. Extremamente ligado às ciências, Peirce foi um dos primeiros pensadores a se preocupar com a linguagem científica. Não estudou apenas Filosofia, mas, também, química, física, astronomia, linguística filologia, história e psicologia.

Leia mais...
Espaço-Poesia 37
AddThis Social Bookmark Button

 

Espaço-Poesia

 

Título: A casa do Poeta

 

 Algum lugar, presente lugar, lugar do paraíso

Leia mais...
38. As raízes histórico-filosóficas da alegoria
AddThis Social Bookmark Button

As raízes histórico-filosóficas da alegoria 

 

Julio Cesar Moreira

Mestrando em Filosofia pela PUC-SP

Este artigo é a primeira parte de um estudo tem por objetivo realizar um levantamento no estudo do tema da interpretação alegórica nas doutrinas da escola Neoplatônica. Ao estudarmos o Neoplatonismo é claramente apreensível o quão fundamental e intrínseco ao pensamento Neoplatônico é o componente da exegese alegórica, porém este tema não se tem a devida atenção no meio acadêmico.

Leia mais...
Os Filósofos pré-socráticos: filósofos da natureza
AddThis Social Bookmark Button

Os Filósofos pré-socráticos: filósofos da natureza

I – Introdução.

Até 600 a.C, aproximadamente, o homem grego utilizava a mitologia para explicar a natureza e fundamentar a própria organização sociopolítica grega. Os mitos mais antigos de que se têm registros remontam ao período Neolítico, isto é, aproximadamente 10.000 a.C.

Leia mais...

Paradigmas 39

AddThis Social Bookmark Button

Expediente

Revista Paradigmas

Filosofia, Realidade & Arte

Ano XII - n. 39

ISSN 1980 - 4342

Julho/Agosto – 2012

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

A Interpretação de Hannah Arendt da proairesis aristotélica

 Adriano Martins Soler

Mestrando em Filosofia - PUCSP

Introdução

O presente artigo trata de uma releitura do texto exposto na primeira parte do Capítulo 2 – A descoberta do homem interior – do Volume 2 – O Querer (A vontade) – da obra A Vida do Espírito de Hannah Arendt. Depois do Pensar, é o Querer que é solicitado, para confiar o segredo antropológico da aberração que, certo destino histórico da modernidade, demonstrou através de uma nova crítica do juízo. Desta vez, Arendt vai em busca de uma genealogia das teorias da vontade - da proairesis antiga até Nietzsche e Heidegger, passando pelo pensamento medieval.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

A alegoria e o neoplatonismo

Julio Cesar Moreira

Mestrando em Filosofia pela PUC-SP

 

Este artigo é a segunda parte de um estudo e tem por objetivo realizar um levantamento no estudo do tema da interpretação alegórica nas doutrinas da escola Neoplatônica[1]. Ao estudarmos o Neoplatonismo é claramente apreensível o quão fundamental e intrínseco ao pensamento Neoplatônico é o componente da exegese alegórica, porém este tema não tem a devida atenção no meio acadêmico.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

 A significação do Baobá na cultura africana e suas transmutações ideológicas pós-contato europeu.

Vanderleia Barbosa da Costa

Graduanda em Gestão de Turismo

 pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo- Campus Cubatão

O Baobá é uma árvore originária das estepes africanas e regiões semiáridas de Madagascar, seu nome científico é Adansonia digitata; pode atingir até 30 metros de altura por 7 metros de circunferência. É resistente, sobrevivendo por longos períodos de estiagem, devido à sua capacidade de armazenar água, cerca de 120 000 litros e atinge até seis mil anos de idade. Pela magnitude e força, o Baobá é para muitas etnias africanas a árvore da vida.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Teste seus conhecimentos

1. Segundo Plotino, podemos afirmar, quanto à alma:

a             Cada homem possui uma única alma, a qual é una e indivisível;

b             O homem possui duas almas, uma originada no Caos e outra no Cosmo;

c              O homem  possui duas almas, uma  causada  pelo   divino  outra  pelo   universo,     as    quais   se   unem definitivamente após a morte do  homem;

d             O homem possui duas almas, uma causada pelo divino  outra pelo universo, as quais se separam após a morte do homem.

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Filosofia com Pipoca

Filosofar pra quê?

Edson Pipoca

blogdopipoca.wordpress.com

 

 As pessoas dizem: “Filosofia é muito chata!” E é mesmo! Daqui imagino 10 coisas legais que poderíamos fazer em lugar de Filosofar. Ficar no facebook postando filosofia de beira de estrada; arrumar uma gata e... bem ... e ter filhos... e pagar pensão, e... ficar filosofando sobre e se eu tivesse usado camisinha? Bem, talvez não sejam 10, mas o troço é de pirar o cabeção mesmo. 

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Entrevista

Alexandre Rojas de Lima sobre a Psicoestratégia

Colaboração

Luiz Meirelles

1- A Psicologia, até o seculo XIX, era uma disciplina da Filosofia. No século XX, ganhou corpo próprio e até um certo afastamento. Atualmente, é notório entre os profissionais da Psicologia a busca da fundamentação filosófica. Em sua prática profissional você considera as várias correntes filosóficas ou se alia a alguma específica?

Leia mais...
AddThis Social Bookmark Button

Espaço-Poesia

Metáfora

Uma lata existe para conter algo

Mas quando o poeta diz: "Lata"

Pode estar querendo dizer o incontível

Leia mais...